"A Filha da Floresta" de Juliet Marillier



"Uma história pode começar de muitas maneiras. Desse modo, transformando-se em várias histórias. Ao mesmo tempo, cada uma delas não passa de uma maneira de contar a mesma. Era uma vez dois irmãos. Esta é a história do irmão mais velho, um homem que tinha tudo. Era bom, forte, sábio e rico. Era um homem que fazia sempre as escolhas certas. Era um homem satisfeito com o que tinha; mais do que satisfeito, porque era obrigado pelo amor e pelo dever a solidificar a sua herança. Até que um dia descobriu que não era o suficiente. (...) Esta é também a história de uma jovem. Quem ela era, ninguém sabe bem, excepto que tinha uns olhos verdes estranhos, um cabelo como a meia-noite e que veio do outro lado do mar. (...) Dizem que ela não falava, (...) que era uma mulher sem sentimentos humanos, uma feiticeira (...)."

in A Filha da Floresta de Juliet Marillier



Bem, nem tenho muitas palavras para descrever o que achei deste livro. Acho que entrei tanto nele que comecei a sentir muito mais como a Sorcha e fiquei sem palavras.
Quando comecei a ler o livro, não me parecia que ia gostar tanto assim da história, embora a escrita límpida, leve e estruturada da autora me tenha cativado desde a primeira linha. Parecia-me uma história de guerrilhas e de sete irmãos unidos mas com personalidades diferentes, que não iam gostar da madrasta.
Mas não...
A história é muito mais do que isso. Fala de coragem, AMOR sincero e verdadeiro entre irmãos, as provações da vida e a descoberta do amor entre dois improváveis enamorados.
Tudo envolvido com a delicadeza dos mitos celtas, tendo como fundo o mito dos cisnes. As mil e uma histórias de seres encantados, magia, poder, e uma criança.
Uma criança, Sorcha, com quem ri e chorei, por quem sofri horrores dentro de mim pelo que vai passando, por quem fiquei feliz quando tudo acalma. Uma criança que é arrancada da infância da pior forma possível e verdadeiramente altruísta e sincera.
A autora criou personagens que não se esquecem, apaixonantes, bem definidos, cada qual com a sua própria personalidade sólida, e ao mesmo tempo mutável, tal como na vida real. E um ambiente encantado em que tudo se desenrola. E, claro, uma bela história de amor. Que não começa como tal, mas que acaba como uma bela história de amor *.*
Adorei o livro.
Até me obriguei a abrandar o ritmo de leitura por vezes, tal era a nostalgia que já sentia por o acabar.
Para mim, foi um livro em que me apeteceu ler e reler passagens, que me fez pensar muito sobre algumas coisas, e que tem algumas mensagens profundas com as quais me identifico totalmente. Certamente, mesmo após o ter lido já, será um livro a adquirir mal a oportunidade surja.
10*

tags:
publicado por lilith às 11:44 | link do post | o que te faz sentir? | partilhar